Instituto Brasileiro do Algodão aprova novos projetos e foca na competitividade do setor

     Em sua 34ª reunião, o Conselho Gestor do IBA – Instituto Brasileiro do Algodão, reunido na sede da Abrapa, dia 7, deu prosseguimento a diversas deliberações, incluindo a aprovação de sete novos projetos. De acordo com Haroldo Rodrigues da Cunha, presidente executivo, a entidade preza, sobretudo, pelo bom uso dos recursos destinados aos projetos. “O que exigimos é a qualidade e a entrega de resultados, pois nosso foco é a construção de um setor cada vez mais competitivo”.
 
Criado em 2010 para receber e gerir os recursos advindos do acordo final do contencioso do algodão na OMC, o IBA vem investindo em projetos de sustentabilidade; capacitação; serviços de informações de mercado; uso de bens de capital e fitossanidade. Também realizou no ano passado o 1º Workshop de Projetos do Instituto Brasileiro do Algodão, que reuniu representantes das nove entidades estaduais e da Abrapa, com o objetivo de compartilhar experiências, sugerir ações e identificar oportunidades. “O próximo workshop deverá ser realizado em 2016. Esse prazo de dois anos entre um evento e outro é fundamental para que possamos analisar os resultados alcançados e traçar ações futuras”, explica Haroldo Cunha. Outra ideia é intercalar os workshops com seminários. “Estamos avaliando a melhor época para isso”.
 
Projetos aprovados
 
Na última reunião do IBA foram aprovados sete novos projetos, a maioria para início imediato. Confira a seguir:
 
ABAPA – Associação Baiana dos Produtores de Algodão
– Fortalecimento do Ambiente Institucional da Abapa
Ações estratégicas para o desenvolvimento da cadeia produtiva do algodão no Estado, beneficiando diretamente 202 produtores em nove municípios, totalizando uma área de 276,861 ha na safra 2014/2015.
 
Ministério das Relações Exteriores 
– Cooperação Sul – Sul para promoção do trabalho decente em países produtores de algodão na África e América Latina
O projeto será realizado, até 2019, pela Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e Organização Internacional do Trabalho (OIT). A proposta é compartilhar e adaptar a experiência brasileira em países interessados. O governo brasileiro e a OIT estabelecerão missões de prospecção, executarão e acompanharão o desenvolvimento das atividades. Principais resultados esperados: prevenção e eliminação do trabalho infantil e do trabalho forçado, e inclusão produtiva com foco na formação e emprego de jovens e mulheres.
 
AMAPA – Associação Maranhense dos Produtores de Algodão
– Recuperação de Estradas Vicinais de Fazendas Produtoras de Algodão do Maranhão 
O projeto, a ser realizado de 2015 a 2016, visa a recuperação de 177 km de estradas vicinais de fazendas produtoras de algodão do estado do Maranhão de associados da AMAPA. A recuperação e manutenção dessas estradas contribuirão para melhorar o recebimento de insumos e o escoamento da produção de algodão na região.

 AMPA – Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão
– Aplicação de tecnologia para melhoria da qualidade do algodão através da aquisição de equipamentos classificadores de fibra
O objetivo é proporcionar ao produtor maior agilidade e confiabilidade na classificação HVI , assim como maior eficiência e margem operacional, possibilitando a obtenção de melhores preços na comercialização através da homogeneização dos lotes de pluma. A máquina, a ser adquirida ainda este ano, será entregue para a Cooperativa Agrícola dos Produtores da Serra da Petrovina (Copaspe), à qual 21 produtores são associados, totalizando aproximadamente 6 mil ha na safra 2015/2016.
 
AMAPA – Associação Maranhense dos Produtores de Algodão
– Mapeamento de ocorrência e implantação de medidas básicas para o controle de bicudo no Estado
Objetivo: controle, mitigação e erradicação de pragas e doenças. A Amapa vai mapear a incidência e implantar medidas básicas para que os produtores possam obter maior produtividade, auxiliando ativamente na sustentabilidade da cultura. Esse projeto segue até 2019.
 
ABAPA – Associação Baiana dos Produtores de Algodão
– Qualificação de profissionais na área administrativa para o desenvolvimento das propriedades produtoras de algodão.
Melhorar a gestão das propriedades, capacitando profissionais que praticam atividades administrativas nas fazendas. Meta é capacitar 300 colaboradores de cotonicultores até dezembro de 2015, em Contabilidade e Custos; Direito Tributário; Direito Trabalhista; Gestão de Pessoas e informática básica.
 
AMPA – Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão
– Aplicação de tecnologia para a melhoria da qualidade do algodão através da aquisição de equipamentos classificadores de fibra.

Esse projeto será executado pela Cooperativa dos Cotonicultores de Campo Verde – Cooperfibra. Será adquirida uma máquina HVI Uster 1000, com o objetivo de proporcionar ao cotonicultor mato-grossense maior agilidade e confiabilidade na classificação HVI.

Associação Brasileira dos Produtores de Algodão – Abrapa

MT: grãos ampliam recorde

Apesar das dificuldades enfrentadas pelos sojicultores na safra 2014/15 e das incertezas que ainda pesam sobre o saldo da safrinha de milho, as duas commodities – que são os principais carros-chefe da pauta estadual de exportações – tiveram suas estimativas reajustas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Com a revisão mensal positiva, Mato Grosso amplia…

Details

MT: grãos ampliam recorde

Apesar das dificuldades enfrentadas pelos sojicultores na safra 2014/15 e das incertezas que ainda pesam sobre o saldo da safrinha de milho, as duas commodities – que são os principais carros-chefe da pauta estadual de exportações – tiveram suas estimativas reajustas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Com a revisão mensal positiva, Mato Grosso amplia…

Details