Bom dia. Os contratos futuros de soja na Bolsa de Chicago, vecimento novembro/17 operam em leve alta de 6,25 centavos, trabalhando a US$ 963 centavos por bushel nesta segunda-feira (07/08). Movimentação leve para a madrugada até o momento, com 15 mil contratos até as 06:20 da manhã.

O mercado trabalha em aparente recomposição técnica depois das fortes quedas da semana passada, que perdeu mais de 50 pontos em função das chuvas que caíram sobre o meio-oeste americano. Não choveu muito durante o final de semana, e as temperaturas estão relativamente altas, e para hoje e amanhã, também tem poucas chuvas e temperaturas relativamente altas. Mas as precipitações ocorridas na quarta, quinta e sexta da semana passada provavelmente deram um “upgrade” nas condições das lavouras. Hoje ao final da tarde, saberemos se as condições voltam a ficar acima de 60% entre boas a excelentes. Atualmente, estão a 59%. Lembrando que cada ponto percentural a mais pode significar entre a 1 a 2 milhões de toneladas adicionais de produção final, principalmente nesse período crítico de definição. 

Graficamente, um aparente suporte na casa dos US$ 955 cents/bushel. O mercado tocou esse nível na quinta-feira, na sexta testou novamente, e não o rompeu. Hoje a mínima está em US$ 959,50 cents/bushel. Não por acaso, é nas proximidades de um patamar Fibonacci importante (38,20% do movimento de alta que saiu de US$ 906 até US$ 1047 a cerca de 4 semanas atrás). Se perdido, pode jogar o mercado de volta para os US$ 900 a US$ 910. Se mantido, pode ser que tenhamos uma lateralização entre US$ 960 e US$ 1000.

Alguns traders mais corajosos, olhando para este suporte, estão comprando call (opção de compra) de US$ 980,00 e  vendendo put (opção de venda) de US$ 940 a um ligeiro custo, com stop se o novembro fechar abaixo de US$ 955 hoje. Alvo de lucro se o mercado bater em US$ 978, onde tem uma resistência, mas que pode garantir uns US$ 300,00 por contrato em caso de sucesso, e US$ 100 por contrato de prejuízo, em caso de stop. 

No final deste mês estarei no Brasil, em Boa Vista-Roraima, onde irei proferir palestra no evento que marca a largada da colheita da soja naquele estado, precisamente no dia 02/09. Será uma honra conhecer essa região que tem grande potencial produtivo, e com características bastante interessantes, como por exemplo o calendário de plantio e colheita parecido com o norte-americano. Depois sigo para o Sul/Sudeste para mais palestras e cursos abertos e in company.

Tags: Soja
Fonte: OTCex Group Genebra