Com expectativa de que haverá redução para o milho no próximo USDA e com mais estresse hídrico em várias áreas dos Estados Unidos, a Bolsa de Chicago (CBOT) opera com a commodity em alta nesta segunda (7).
Os dois contratos do ano, setembro e dezembro, operavam no positivo a 3,5 pontos, respectivamente US$ 3,70 e US$ 3,84, às 9h40.
De acordo com o portal francês Agritel, “os operadores esperam uma revisão significativa das estimativas de produção de milho nos EUA”.Dia 10, quinta, o USDA divulga a pesquisa de produção das commodities.
Em parte porque o tempo seco se abate há vários dias sobre as principais regiões produtoras – depois de semanas anteriores com milho sofrendo com chuva –  e também porque deverá ainda continuar assim, “pois espera-se que o estresse das culturas continue em áreas secas, enquanto as regiões com muita chuva continuarão a estar sem acumulação de precipitação”, como reportou o site Agriculture.
BM&F Bovespa
Tentando pegar carona nos operadores de Chicago, que estão puxando o milho, traders que operam na bolsa paulista também encontram espaço para testar ganhos nos futuros. Por enquanto na faixa da estabilização.
O setembro passava às 9h50 em 0,73%, R$ 26,38, e o novembro a 0,21%, R$ 28,41.
 
Tags: Milho

Por: Giovanni Lorenzon
Fonte: Notícias Agrícolas